Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

GRANDE PRÉMIO DO NATAL

Nunca é demais recordar como esta corrida foi, em tempos, considerada como “maldita” pela equipa das LEBRES E TARTARUGAS após uma primeira participação em 2009 e que nos deixou terrivelmente desapontados com a falta de desorganização revelada. Mas, o que outrora foi um pesadelo, transformou-se por completo passando a ser uma corrida emblemática e na qual fazemos questão de estar presentes.

 

A edição deste ano do Grande Prémio de Natal registou também o regresso às “pistas” asfaltadas do nosso atleta Carlos Gonçalves que anda, desde meados de 2017, a lutar contra uma arreliadora lesão no menisco direito e que já o impediu de participar em alguns “Trails” da sua preferência.

 

Mas será que veio mesmo para ficar? Aguardamos pelos próximos desenvolvimentos.

 

É preciso recuar sete meses para encontrarmos os três LEBRES E TARTARUGAS Fundadores juntos numa mesma corrida, mais precisamente na também igualmente emblemática Corrida do 1º de Maio.

 

Este “lesionado” atleta definiu à partida três objectivos neste seu regresso à competição:

 

  • Terminar a prova
  • Se possível sem dores
  • E, hipótese mais difícil, abaixo de uma hora

 

Para conseguir cumprir os dois primeiros objectivos o Carlos Gonçalves arrancou num ritmo bastante moderado e nada condizente com o grupo de Sub 50 no qual partiu. Não se importando nada com as constantes ultrapassagens que lhe faziam por um e por outro lado, vendo mesmo alguns atletas já conhecidos e cujo ritmo é normalmente muito inferior ao seu passarem-lhe à frente, lá foi percorrendo calmamente os vários quilómetros até chegar à Meta em boas condições e praticamente sem dores. Só que, nesta altura, as descidas são muito mais problemáticas do que as subidas pelo que os derradeiros dois quilómetros não foram de todo aproveitados tendo, como consequência, cortado a meta com cerca de uma hora e seis minutos. Mas, e mais importante do que tudo, terminou a prova praticamente como se não estivesse lesionado. Abrem-se assim boas perspectivas para a São Silvestre de Lisboa e, muito importante, para a Corrida do Fim da Europa que se realiza no final do próximo mês de Janeiro.

 

Assim parece que “veio mesmo para ficar”. Mas com muita calma, como os seus companheiros de equipa bem o avisam…

 

A equipa das LEBRES E TARTARUGAS esteve bem representada e pelos seus mais regulares elementos:

 

  • Pedro Antunes
  • Frederico Sousa
  • Carlos Teixeira
  • Carlos Gonçalves
  • João Valério

 Equipa.jpg

Para uma Corrida sem novidades face à edição do ano passado, cada um partiu com as suas próprias expectativas. O facto de conhecerem o percurso acaba por ser uma vantagem. E é uma prova boa para estabelecer recordes pessoais.

 

A parte inicial é talvez a mais dura. A primeira subida até ao Largo da Luz é um pouco demolidora vendo-se desde logo alguns atletas a encostarem-se à berma e a andarem a passo. Uma incursão por uma das principais artérias do Bairro de Telheiras e os atletas recuperam o fôlego e enchem-se de coragem para atacar os próximos quilómetros.

 

A passagem pela zona desportiva do Sporting Clube de Portugal enche de ânimo os inúmeros “leões” ou “lagartos” sendo, para eles, um dos pontos altos do percurso. Mas também não deixa indiferentes os simpatizantes de outras cores clubistas.

 

Aproximamo-nos do Campo Grande e, como dizia um outro atleta, “agora já só faltam duas rectas”, e com o rebuçado final de mais de dois quilómetros sempre a descer.

 

A animação na Avenida da Liberdade é bastante grande. O espírito do Natal está bem no ar. E como não choveu as ruas e passeios estão cheias de passeantes, alguns a apoiarem os atletas e outros, completamente alheados desta “confusão”, dão mais atenção à beleza da “Sala de Visitas” da cidade de Lisboa.

 

Terminada a corrida cada um parte à sua vida para gozar os últimos “cartuchos” de um fim-de-semana prolongado.

 

Até ao Natal os TARTARUGAS não se voltarão a reencontrar, estando marcada para o dia 30 de Dezembro a despedida em beleza, desportivamente falando, na tradicional e muito concorrida São Silvestre de Lisboa.

 

Atletas que concluiram a prova: 4358

Vencedor: HÉLDER SANTOS (Sporting CP): 0:29:01

 

 CARLOS TEIXEIRA (Dorsal Nº 1237) 

Classificação Geral: 1237º - Classificação no Escalão M50/M55/M60: 204º

Tempo Oficial: 0:47:12/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): ND

Tempo médio/Km: 4:43s  <=> Velocidade média: 12,71Km/h (*)

 

CARLOS GONÇALVES (Dorsal Nº 3392) 

Classificação Geral: 3781º - Classificação no Escalão M50/M55/M60: 734º

Tempo Oficial: 1:06:21/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): ND

Tempo médio/Km: 6:38s  <=> Velocidade média: 9,04Km/h (*)

 

JOÃO VALÉRIO (Dorsal Nº 3557) 

Classificação Geral: 2293º - Classificação no Escalão M50/M55/M60: 440º

Tempo Oficial: 0:53:26/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): ND

Tempo médio/Km: 5:21s  <=> Velocidade média: 11,23Km/h (*)

 

FREDERICO SOUSA (Dorsal Nº 3761) 

Classificação Geral: 2781º - Classificação no Escalão M50/M55/M60: 541º

Tempo Oficial: 0:56:35/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): ND

Tempo médio/Km: 5:58s  <=> Velocidade média: 10,05Km/h (*)

 

PEDRO ANTUNES (Dorsal Nº 3868) 

Classificação Geral: 3767º - Classificação no Escalão SEM Masculinos: 607º

Tempo Oficial: 1:06:13/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): ND

Tempo médio/Km: 5:58s  <=> Velocidade média: 10,05Km/h (*)

 

(*) - O Tempo médio/Km e a Velocidade média foram calculados em função dos tempos cronometrados (tempo do chip)

 

Corridas do Mês de Dezembro

  • 3 - Meia Maratona dos Descobrimentos (Lisboa) - 21,0975 Km
  • 10 - Grande Prémio do Natal (Lisboa) - 10 Km
  • 30 - Corrida São Silvestre de Lisboa - 10 Km
publicado por Carlos M Gonçalves às 23:38

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. 20 KMS DA MARGINAL

. CORRIDA DO SLB

. CORRIDA DOS SINOS

. CORRIDA DA ÁRVORE

. TRAIL DA COSTA SALOIA

. CORK TRAIL

. TREINO/CORRIDA DOS SALESI...

. CORRIDA DAS LEZÍRIAS

. GRANDE PRÉMIO DO ATLÂNTIC...

. ALMADA TRAIL TERRA & MAR

.arquivos

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

.links

.subscrever feeds