Terça-feira, 14 de Maio de 2013

TRAIL CASTELO DE ABRANTES

Neste fim de semana tivémos uma jornada dupla com a participação de metade da equipa no TRAIL CASTELO DE ABRANTES - Carlos Gonçalves e Frederico - e a outra metade na Meia Maratona de Setúbal - Carlos Teixeira e a mais recente contratação Hugo Ferreira. Esta última prova será debatida numa crónica à parte.

 

Em 2012 o Frederico lançou o desafio para participarmos na versão mais curta (cerca de 15 quilómetros) do Trail Castelo de Abrantes. E sempre que o Frederico propõe um repto mais ousado o Carlos Gonçalves dá incondicionalmente o seu "SIM". Da nossa participação no ano passado as impressões foram as melhores pelo que voltar na edição deste ano foi um passo demasiado curto. Só que desta vez fomos mais ousados e abalançámo-nos à prova maior que, segundo a organização, teria uma distância entre 30 e 35 quilómetros. E esta corrida até se encaixava perfeitamente no programa de preparação do Carlos Gonçalves para a Ultra Maratona de S. Mamede a disputar em Portalegre já no próximo fim de semana.

 

No seio da nossa equipa ficou previamente acordado que, tal como no Trilho das Lampas, faríamos a prova em companhia. O carácter competitivo seria deste modo posto completamente de parte assumindo-se a nossa participação mais como um passeio para carregar baterias e disfrutar ao máximo a natureza.

 

O início do Trail estava previamente marcado para as nove e trinta. Como o autocarro que transportou os atletas desde Abrantes até ao local da partida saíu atrasado desse modo o começo da corrida resvalou cerca de meia hora tendo tudo começado às dez da manhã. Neste Domingo bastante soalheiro os temores do Frederico adensavam-se com as previsões de tempo quente. Mas o azar de uns é, às vezes, a sorte de outros donde o nosso "árabe" Carlos Gonçalves esfregava as mãos de contente.

 

Poucas dezenas de atletas se perfilavam junto à linha de partida. Eram entre cinquenta e sessenta, e ainda por cima com um aspecto de bem preparados. Adensavam-se as nossas preocupações em termos de podermos chegar ao fim em último lugar. Mas mesmo que assim viesse a acontecer não iríamos certamente dar por mal empregue este Domingo de Maio.

 

Não abundavam caras conhecidas mas mesmo assim ainda encontrámos amigos de outras provas.

2013_05_.jpg

Dado o tiro de partida começaram as "hostilidades" num andamento muito vivo, demasiadamente vivo para as nossas aspirações. Convém frisar que para o Frederico esta iria a ser a sua prova mais longa. Os vinte cinco quilómetros de Penacova tinham sido a maior aventura deste atleta. Logo após a primeira subida de respeito olhámos para trás e ... não vimos mais alguém. Tudo bem. À medida que os quilómetros iam avançando ainda conseguíamos enxergar ao longe alguns atletas mais adiantados. Mas, a partir de certo ponto, foi o isolamento total. Duas Tartarugas ainda bastante animadas mas sem lebres que lhes fizessem companhia.

 

Até ao primeiro Posto de Controlo, e simultaneamente Ponto de Abastecimento, o percurso foi o máximo. Bastante variado, uma vezes mais fácil e outras mais difícil, mas sempre a justificar a nossa plena satisfação. Então aquele troço ao longo de uma ribeira, em que passávamos bem juntinho à rocha e agachados para não perdermos o equilíbrio e não nos estatelarmos uns metros abaixo dentro de água, davam por bem empregue o nosso tempo. Sabíamos de antemão que a organização tinha preparado um percurso diferente do da edição anterior. Só que, ao vislumbrarmos ali bem perto a cidade de Abrantes, tememos que iríamos começar a andar "às voltinhas" só para cumprir quilómetros. E foi isso mesmo que aconteceu. E a partir de aqui o Trail Castelo de Abrantes começa a perder o encanto inicial. Mas mesmo assim ainda íamos encontrando motivos de interesse. A certa altura temos de entrar num túnel artificial onde corria uma ribeira e que percorremos com água quase pelos joelhos. Foi bom quer para nos refrescarmos que para nos resguardarmos um pouco do Sol já abrasador.

Num constante "sobe e desce" e aos "zigue-zagues" vamos calcorreando mais alguns quilómetros e aproximamo-nos do segundo Posto de Abastecimento, agora só de líquidos. Pois é, mas nesta altura mais do que de líquidos o que necessitavámos mesmo era de alguns suplementos sólidos. A organização deveria ter trocado os dois primeiros abastecimentos.
 
O calor começa cada vez mais a apertar e a deixar marcas nos atletas. Correr só episodicamente, pois as forças já começavam a escassear. Mas temos de continuar a nossa aventura. E o Castelo de Abrantes ali tão perto e com tantos quilómetros ainda por cumprir. As coisas começavam definitivamente a piorar para as Tartarugas.
 

À passagem pelo terceiro e derradeiro Posto de Abastecimento quase atinjimos o desespero. Afinal já estamos na zona urbana da cidade de Abrantes. E como faltavam um pouco menos de dez quilómetros até à meta de certeza que iríamos andar perfeitamente às voltinhas. O que teria a Organização inventado e nos reservado para o final. Passando pelo complexo desportivo entramos em "single trek" rumo ao Rio Tejo. As águas calmas constituíam mesmo assim um tónico retemperador para as nossas tão depauperadas energias. E também só pensávamos na derradeira subida em direcção ao Castelo que tínhamos superado em 2012. Todavia as nossas preocupações não se confirmaram. Mas, em contrapartida, os últimos dois/três quilómetros processam-se exclusivamente no alcatrão das ruas da cidade. Foi mesmo necessária uma curta pausa das Tartarugas para ganharem algum fôlego e terminarem a prova com alguma dignidade, digamos mesmo compostura. Mais do que uma corrida competitiva tratava-se mais de um passeio, pois já há muito tempo que decidíramos relegar os tempos para último plano. A água dos nossos reservatórios começava a faltar e tivémos de aproveitar todas as gotas disponíveis. Forças também já não havia. Mas desistir NUNCA. O que viesse era para ser superado.

 

Finalmente entramos no perímetro do Castelo e ainda conseguimos dar uma corrida rumo ao último Posto de Controlo e ao local onde outroramente estava colocada a meta. Todo o aparato já estava a ser desmontado uma vez que o tempo limite da prova - seis horas e trinta minutos - há muito que se esgotara. Provavelmente já ninguém acreditava que estes dois sobreviventes conseguissem terminar a corrida. Mas desistir não faz parte do nosso ideário.

 

Um bom banho retemperador, seguido de um almoço fora de horas, era aquilo porque mais ansiávamos. O cansalo era tal que um de nós chegou mesmo a adormecer por breves minutos em cima da mesa enquanto aguardávamos que nos servissem a refeição.

 

Recompostos e renascidos para a vida regressamos às nossas casas.

 

Foi mais uma jornada Épica. Ultrapassámos o tempo limite para a realização do Trail Longo e portanto nem sequer fomos classificados. Deste modo não ficámos em último pelo que o nosso lema não foi quebrado. Mas o mais importante de tudo é que, com maior ou menor dificuldade, vencemos todos obstáculos que nos foram aparecendo. Só desistimos do Trail competitivo porque o transformámos num "agradável" Passeio Pedestre.

 

Atletas que concluiram a prova: 62

Vencedor: MARCO MARQUES (União Tomar): 2:42:14

 

FREDERICO SOUSA  (Dorsal Nº 40)

Classificação Geral: NC - Classificação no Escalão(M50/54): NC

Tempo Oficial: ND/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 6:55:18

Tempo médio/Km: 12m:27s  <=> Velocidade média: 4,82Km/h (*)

 

CARLOS GONÇALVES (Dorsal Nº 39)

Classificação Geral: NC - Classificação no Escalão (M55/59): NC

Tempo Oficial: ND/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 6:55:18

Tempo médio/Km: 12m:27s  <=> Velocidade média: 4,82Km/h (*)

 

(*) - O Tempo médio/Km e a Velocidade média foram calculados em função dos tempos cronometrados (tempo do chip)

 

Calendário para o Mês de Maio

  • 1- Corrida do 1º de Maio (Lisboa) - 15 Km
  • 4 - Trilho das Lampas (S. João das Lampas) - 18 Km
  • 12 - Trail Castelo de Abrantes - 30/35 Km ==> Frederico Sousa e Carlos Gonçalves
  • 12 - Meia Maratona de Setúbal - 21,0975 Km ==> Carlos Teixeira e Hugo Ferreira
  • 18 - Ultra Trail da Serra de S. Mamede (Portalegre) - 100 Km ==> Carlos Gonçalves
  • 19 - Bes Run Challenge3 (Sintra) - 10 Km ==> Frederico e Carlos Teixeira
  • 26 - Corrida do Guincho/Entre Serra e Mar (Malveira) - 13 Km
publicado por Carlos M Gonçalves às 20:30

link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29

.posts recentes

. CORRIDA DO TEJO

. CORRIDA DA LINHA MÉDIS

. MEIA MARATONA DE S. JOÃO ...

. TRAIL DOS MOINHOS SALOIOS

. CORRIDA DAS FOGUEIRAS

. OEIRAS TRAIL

. PALMELA RUN

. Lx Trail Monsanto

. CORRIDA DE BELÉM

. MEIA MARATONA DE SETÚBAL

.arquivos

. Setembro 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

.links

.subscrever feeds