Quarta-feira, 2 de Maio de 2012

CORRIDA DO 1º DE MAIO

Esquecida a corrida do SLB as TARTARUGAS voltaram a entrar em cena com a participação na Corrida Internacional do 1º de Maio em Lisboa. Apesar de encarnar o mesmo espírito da Corrida da Liberdade estivemos em presença de uma prova bem melhor organizada, fazendo jus à designação de “Corrida Internacional”.

 

E esta corrida, como por mais de uma vez já referido, tem o grande aliciante de começar e terminar na Pista de Atletismo do Campo de Futebol do renovado Estádio 1º de Maio. É o momento de glória de todos os atletas ao concluírem a prova após terem efectuado uma “meia volta” de honra à pista fazendo-nos momentaneamente sonhar que estamos a completar e a vencer uma corrida dos Jogos Olímpicos do nosso imaginário. Mesmo que não haja muito público a torcer por nós interiormente ouvimos o Estádio todo em pé a aplaudir-nos. Também é bom sonhar …

 

De ano para ano a adesão popular é cada vez maior, o que constitui um bom sinal nos tempos que correm. Sem grande novidade no percurso relativamente às edições anteriores sabíamos desde logo que a primeira metade da corrida era predominantemente a descer até perto do Terreiro do Paço. Portanto tínhamos de aproveitar este balanço e aumentar o ritmo para amealharmos alguma vantagem que se viria a revelar muito útil quando tivéssemos de enfrentar os cerca de três quilómetros de subida ao longo da Almirante Reis até à Praça do Areeiro/Francisco de Sá Carneiro. Estranhamente desta vez até foi fácil, ou mais fácil do que poderíamos esperar. Já por mais de uma vez que percorremos este troço, mormente na Maratona de Lisboa. E por estarmos, porventura, melhor preparados psicologicamente para este obstáculo ele até deixou de ser o grande “papão” de edições anteriores. Esta longa subida acabou por ser resolvida praticamente ao mesmo ritmo das Avenidas Fontes Pereira de Melo e da Liberdade. E como corolário desta abordagem os tempos finais foram bastante bons.

 

No entanto, apesar de bem organizada, a Corrida do 1º de Maio teve alguns pontos negativos dos quais se salienta um primeiro abastecimento de água muito tarde, entre o sexto e o sétimo quilómetro, e deficiente indicação dos quilómetros da corrida. Até parece que alguns desapareceram. Como facto positivo registamos a grande presença de elementos afectos à Organização ao longo de todo o percurso quer para darem indicações importantes como por onde deveríamos seguir mas também para nos incentivarem e aplaudirem o nosso esforço. Parece-nos também que o percurso ficou encurtado em cerca de trezentos metros. Provavelmente, e à semelhança do ano passado, dever-se-ia ter chegado ao Terreiro do Paço e não cortado antes. Fica no ar a dúvida.

 

Aprendemos no ano passado que não é boa estratégia partir logo na linha da frente pois deste iríamos passar grande parte da corrida a ser ultrapassados. Assim este ano escolhemos um lugar mais recatado o que também nos permitiu, de alguma forma, fugir à confusão e aos atropelos que normalmente acontecem.

 

A chuva apareceu com grande intensidade uns minutos antes do “tiro de partida” e acompanhou-nos até ao final do troço da avenida da República. Depois desapareceu como que por encanto. Já nos tinha encharcado em demasia permitindo-nos realizar grande parte da prova sem mais este contratempo.

 

Fruto da grande adesão de atletas estivemos sempre bem acompanhados até ao “sprint” final. Num derradeiro esforço, e sem sequer olhar para o cronómetro, fixamos o nosso olhar na linha da meta e concentramo-nos em ultrapassarmos todos aqueles que estiverem ainda ao nosso alcance.

 

Mais uma vez podemos utilizar uma das nossas frases feitas: “cansados mas felizes”. Muito felizes dado que, após consulta aos nossos cronómetros, verificamos que fizemos um tempo “canhão” comparativamente com as nossas anteriores prestações em corrida de quinze quilómetros. Dois novos recordes individuais foram estabelecidos. É acima de tudo o resultado da nossa intensa preparação ao longo destes últimos meses desde que regressámos à actividade depois das férias de Verão.

 

Atletas que concluiram a prova: 1442 (1207 em 2011)

Vencedor: Dadi Fikru (Etiópia): 0:44:29

 

CARLOS TEIXEIRA  (Dorsal Nº1051)

Classificação Geral: 776º - Classificação no Escalão M50: 102º

Tempo Oficial: 1:14:26/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 1:14:08

Tempo médio/Km: 4m:57s  <=> Velocidade média: 12,14Km/h (*)

MELHOR TEMPO INDIVIDUAL NA PROVA E NA DISTÂNCIA DE 15 KM

 

CARLOS GONÇALVES(Dorsal Nº1052)

 

Classificação Geral: 545º - Classificação no Escalão M55: 56º

Tempo Oficial: 1:10:02/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 1:09:43

Tempo médio/Km: 4m:39s  <=> Velocidade média: 12,91Km/h (*)

MELHOR TEMPO INDIVIDUAL NA PROVA E NA DISTÂNCIA DE 15 KM

 

(*) - O Tempo médio/Km e a Velocidade média foram calculados em função dos tempos cronometrados (tempo do chip)

 

Calendário para o mês de Maio

 

  • 1 - Corrida do 1º de Maio (Lisboa) - 15 Km
  • 6 - Meia Maratona Internacional de Setúbal - 21, 0975 Km
  • 13 - Mini Trail Castelo de Abrantes - 15 Km
  • 20 - Corrida dos Advogados (Lisboa) - 10 Km
  • 27 - Corrida do Guincho - Entre Serra e Mar (Janes) - 15 Km

publicado por Carlos M Gonçalves às 21:06

link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29

.posts recentes

. CORRIDA DO TEJO

. CORRIDA DA LINHA MÉDIS

. MEIA MARATONA DE S. JOÃO ...

. TRAIL DOS MOINHOS SALOIOS

. CORRIDA DAS FOGUEIRAS

. OEIRAS TRAIL

. PALMELA RUN

. Lx Trail Monsanto

. CORRIDA DE BELÉM

. MEIA MARATONA DE SETÚBAL

.arquivos

. Setembro 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

.links

.subscrever feeds