Quarta-feira, 29 de Junho de 2011

32ª CORRIDA DAS FOGUEIRAS

 

Terminou a primeira fase da nossa época desportiva de atletismo do ano de 2011, antes do necessário e bem merecido período de férias. É certo que, em termos  de actividade física, as TARTARUGAS não irão "pendurar as sapatilhas". Continuarão a treinar e a manter a boa forma física. Porque em Setembro temos o regresso nada mais nada menos com a Corrida dos Moinhos de Penacova. Mas será que as TARTARUGAS resistirão sem se inscreverem em qualquer corrida durante o mês de Julho? Em dois mil e dez tivémos a abrasadora Corrida dos 512 Anos da Santa da Misericórdia de Lisboa, porventura a nossa prova disputada sob a mais elevada temperatura. E neste ano o que teremos em vista?

 

Ontém, na nossa deslocação para Peniche, o nosso atleta mais veterano já começou a lançar alguns desafios: "Sabem que no próximo dia 9 de Julho há uma corrida de 10 Km em Santo André? Ainda por cima disputa-se ao fim da tarde e num Sábado"? Ao que a TARTARUGA mais nova, quiçá a mais condicionada em termos de fins de semana livres, logo adiantou: "É um caso a pensar ...". O terceiro TARTARUGA encolheu os ombros.

 

Repetindo as participações de 2009 e 2010 as TARTARUGAS voltaram à Corrida das Fogueiras. E, à semelhança dos anos anteriores, fizeram-se acompanhar de jovens "TARTARUGUINHAS" promessas. E para desenvolver o espírito de equipa até fomos todos juntos no "monovolume" de um dos Fundadores das LEBRES E TARTARUGAS. Com um primeiro ponto de encontro no Alto do Restelo, e uma segunda paragem na Quinta do Infantado em Loures, os atletas fizeram-se à estrada rumo a um dos paraísos dos Surfistas Portugueses, e não só. Peniche é também um dos destinos de eleição das mais singulares provas de atletismo de estrada. A Corrida das Fogueiras já vai na sua 32ª edição, e não dá sinais de querer interromper esta fórmula de sucesso.

 

Para desagrado de uns, e contentamento de outros, este ano as condições meteorológicas prenunciavam um tempo bem mais ameno. Em 2009 foi o dilúvio. No ano passado ficámo-nos apenas pelo frio. E em 2011, culminando uma semana de generalizada subida das temperaturas em Portugal Continental, aguardava-nos uma corrida bem mais quente.

 

Chegados a Peniche foram cumpridos os habituais rituais:

  • levantamento dos dorsais e das camisolas oficiais
  • equipamento dos atletas
  • primeira foto da equipa, junto a um cartaz oficial da corrida
  • lanche para a constituição de um bom suprimento energético para a corrida
  •  foto tradicional na escadaria já perto da meta

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Logo de seguida separam-se os "fogueirinhas" dos "fogueiras" e cada grupo procura o melhor local para a partida dentro da confusão já instalada.

 

Partindo em primeiro lugar os inscritos na prova principal voltámo-nos a deparar com os problemas habituais. Desde o "tiro de partida" até à passagem efectiva pela linha de começo da prova  demorámos mais de um minuto e meio. Depois foi a confusão habitual. Aos empurrões lá vamos vencendo os primeiros quilómetros. À passagem do quilómetro três, muitos murros no bidão, começamos a vislumbrar os primeiros atletas da Corrida das Fogueirinhas, também eles sujeitos àconfusão e aos empurrões do início.

 

O primeiro abastecimento de água foi uma grande confusão. Só após a primeira passagem junto ao local de início/fim da corrida, perto dos seis quilómetros, é que os corredores começam a definir posições e ritmos de andamento. Ultrapassado o sétimo quilómetro lançamo-nos definitivamente para a estrada e para a fase mais particular da corrida. E, facto insólito, um empregado de um Restaurante surge do nada e salta para a estrada com uma bandeja na mão oferecendo sardinhas assadas aos corredores. E não é que um dos nossos companheiros de luta logo se serve de uma sardinha e começa a tirar a espinha para iniciar o banquete? "Só falta o vinho", dizia ele ... Deixamos o centro urbano de Peniche mas não perdemos o apoio popular inexcedível. Eles gozam tanto como nós esta corrida. São um exemplo sempre a gritarem pelos "heróis" ao longo de todo o percurso.Uns dão vivas ao Porto, outros ao Sporting e outros, ainda que mais timidamente, ao Benfica. Em suma todos dão mas é vivas aos atletas. Começa a fase propriamente dita das Fogueiras.

 

Comparando com a Corrida das Fogueiras dos anos anteriores a deste ano foi muito mais compacta. Os atletas corriam integrados num grupo enorme. Não havia intervalos entre grupos de corredores. Foi uma corrida muito desgastante, aos altos e baixos, e sempre a um ritmo muito elevado.

 

Os últimos quilómetros custam a passar. "Nunca mais aparece o quilómetro onze" . E o "doze" está lá tão longe. Ultrapassado número do azar (treze), a sorte bate-nos à porta. Estamos finalmente a reentrar na zona urbana de Peniche. As reservas já não são muitas. Mas, à entrada dos últimos mil metros, é tempo do tudo ou nada. Regressamos a uma zona já bem conhecida. A meta está próxima mas as últimas centenas de metros até são a subir. Aceleramos ao limite das nossas capacidades, ultrapassamos quem podemos. Finda a corrida procuramos uma barreira da vedação aonde nos poderemos apoiar, recuperar a respiração e executar os tãos necessários exercícios de alongamentos.

 

Consultando os nossos cronómetros verificamos, um pouco desoladamente, que não conseguimos bater os nossos melhores tempos. Mas, dever cumprido, acima de tudo temos a consciência de que demos o máximo. Este foi também o sentimento dos "TARTARUGUINHAS". Também eles ñão melhoraram os registos anteriores. Mas, e fica a dúvida no ar, se não tivesse sido aquela confusão inicial na partida muito provavelmente teriam feito bem melhor.

 

Como aspecto negativo desta edição da Corrida das Fogueiras/Fogueirinhas não podemos deixar de apontar que nos impossibilitaram o acesso aos balneários da Escola para o tão desejado e retemperador duche. Terminada a corrida vários foram os atletas que deram com o nariz na porta da Escola onde antes funcionara o Secretariado e, em anos anteriores, os balneários de apoio aos que pretendiam tomar banho. Só com a prestimosa ajuda de uma carro de patrulha da PSP conseguimos saber que poderíamos tomar banho em balneários improvisados no Quartel dos Bombeiros.

Da organização nem uma única palavra, nem sequer um aviso colocado à porta de entrada. Foi simplesmente LAMENTÁVEL... Será que muitos atletas, principalmente os estrangeiros, arriscarão a voltar em 2012? Talvez não. E deixamos também uma sugestão para quem da organização eventualmente consulte este blogue: Porque não criar também uma prova competitiva para as Fogueirinhas?

 

Apesar de tudo nós contamos voltar em 2012. Mas esperamos sinceramente, e de uma forma positiva e optimista, que as nossas palavras tenham eco.

 

Após o nosso tradicional jantar de convívio regressamos a casa. Uns mais acordados e outros (a maioria) quase a dormir... Já passam das três da manhã quando nos despedimos. Felizes e contententes por no dia seguinte ser domingo e podermos dormir até mais tarde.

 

CORRIDA DAS FOGUEIRAS

 

Atletas que concluiram a prova: 1856 (1848 em 2010)

Vencedor: José Maduro (Maduro Atletics) - Tempo Oficial: 0:47:32

 

FREDERICO SOUSA (Dorsal Nº 479)

Classificação Geral: 1813º - Classificação no Escalão M45:  266º

Tempo Oficial: 1:31:03/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 1:29:23

Tempo médio/Km: 5m:58s  <=> Velocidade média:10,07Km/h (*)

 

CARLOS TEIXEIRA (Dorsal Nº 481)

Classificação Geral: 1702º - Classificação no Escalão M50: 207º

Tempo Oficial: 1:27:47/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 1:26:12

Tempo médio/Km: 5m:45s  <=> Velocidade média: 10,44Km/h (*)

 

CARLOS GONÇALVES (Dorsal Nº 480)

Classificação Geral: 1068º - Classificação no Escalão M55: 72º

Tempo Oficial: 1:16:48/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 1:15:15

Tempo médio/Km: 5m:01s  <=> Velocidade média: 11,96Km/h (*)

 

CORRIDA DAS FOGUEIRINHAS

 

GONÇALO GONÇALVES

Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 0:32:22

Tempo médio/Km: 5m:24s  <=> Velocidade média: 11,22Km/h (*)

 

ANDRÉ GONÇALVES

Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 0:31:04

Tempo médio/Km: 5m:11s  <=> Velocidade média: 11,59Km/h (*)

 

 

(*) - O Tempo médio/Km e a Velocidade média foram calculados em função dos tempos cronometrados (tempo do chip)

 

Calendário para o mês de Junho

  • 5 - Corrida do Oriente (Lisboa) - 10 Km
  • 18 - Marginal à Noite  (Oeiras) - 8 Km
  • 23 - Escalada do Mendro - 11,250 Km
  • 25 - Corrida das Fogueiras (Peniche) - 15 Km
publicado por Carlos M Gonçalves às 00:39

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29

.posts recentes

. CORRIDA DO TEJO

. CORRIDA DA LINHA MÉDIS

. MEIA MARATONA DE S. JOÃO ...

. TRAIL DOS MOINHOS SALOIOS

. CORRIDA DAS FOGUEIRAS

. OEIRAS TRAIL

. PALMELA RUN

. Lx Trail Monsanto

. CORRIDA DE BELÉM

. MEIA MARATONA DE SETÚBAL

.arquivos

. Setembro 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

.links

.subscrever feeds