Sexta-feira, 28 de Junho de 2019

PALMELA RUN

A época 2018/2019 aproxima-se rapidamente do fim. Queimam-se os últimos cartuchos. Os atletas quase já só pensam em Férias. Os planos de descanso estão há muito traçados e apenas se fazem os últimos acertos para preencher os dias que ainda não têm objectivos definidos. Esta é a altura do ano tão desejada mas que voa à velocidade da luz. Mas antes de irmos a “banhos”, ou a qualquer outra actividade mais de lazer, ainda temos algumas provas para cumprir e que fazem parte do nosso calendário de “running”. A época de estrada termina invariavelmente com os quinze quilómetros da Corrida das Fogueiras. Mas também ainda há alguns “trails” para concretizar.

 

E o Palmela Run é um deles.

 

Nas duas primeiras edições a equipa das LEBRES E TARTARUGAS esteve representada pelo Carlos Gonçalves e pelo seu filho Gonçalo. No ano passado o Carlos Gonçalves fez sozinho a prova de Trail, com o Pedro a participar na Caminhada. Este ano lançou o desafio ao Carlos Teixeira para o acompanhar nesta aventura e conseguiu também convencer as respectivas companheiras a participar na Caminhada.

IMG_20190622_185437.jpg

A Serra da Arrábida é uma zona ainda preservada e que mantém muitos dos seus encantos. O Palmela Run detém também um interesse muito particular. Começa de dia, ao final da tarde, permitindo-nos desfrutar de um magnífico pôr-do-sol do alto da Serra do Louro e com Lisboa em pano de fundo. E como se trata de uma prova de trail com cerca de doze quilómetros e meio a maioria dos atletas só regressará a Palmela já pela noite dentro.

 

As duas equipas encontraram-se por volta das seis da tarde na área de serviço de Palmela. Chegando cedo conseguiríamos arranjar facilmente lugar para estacionar os nossos carros e ainda tomar um café e ir à Casa de Banho. Quando chegámos ao centro de Palmela notámos um reduzido movimento comparativamente com os anos anteriores. Pensámos que o interesse pela prova estaria a esmorecer. Hoje em dia há cada vez mais provas pelo que os atletas começam a optar por novas experiências. Mas mesmo assim estranhámos que os preparativos para a corrida ainda estivessem muito atrasados. Até a manga da Partida/Chegada ainda jazia vazia no chão. Estranho. Fomos ter com um elemento da organização e informou-nos que a hora da partida estava marcada para as oito da tarde e não para as sete como o Carlos Gonçalves afirmara. Estava tudo explicado. Foi a primeira gaffe. A segunda surpresa viria mais tarde com a distância da Caminhada. Em vez dos seis e meio adiantados pelo Carlos Gonçalves na realidade seriam oito quilómetros. Oops!!! Mas a tudo resistiremos. E com a alteração da hora de partida da prova de Trail muito provavelmente que ia por água abaixo o nosso jantar de Choco Frito num restaurante em Setúbal.

 

Aquela hora que tínhamos pela frente foi passada numa simpática esplanada onde alguns comemoravam uma despedida de solteiro bebendo taça após taça de um vinho branco fresco e muito apetitoso.

 

À medida que nos aproximávamos das oito horas aumentava a animação nas ruas. O movimento já era idêntico aos das anteriores edições para felicidade dos nossos atletas. Pelo menos a prova não deveria ser um fiasco à juntar às falhas de organização do nosso atleta responsável pelas inscrições.

 

De ano para ano a organização tem vindo a introduzir pequenas alterações no percurso aumentando a sua beleza e, simultaneamente, tornando-o mais exigente em termos técnicos e físicos. Os participantes no Trail partem em primeiro lugar fazendo uma primeira incursão pelas ruas de Palmela. Após cumpridas algumas centenas de metros tomamos o caminho que nos leva aos Moinhos da Serra do Louro.

IMG-20190622-WA0003.jpg

Começa a fase de trilhos. Duas escaladas mais à frente e reencontramos o grupo dos Caminheiros que aproveitam para nos saudar e tirar algumas fotografias.

IMG-20190622-WA0004.jpgIMG-20190622-WA0005.jpg

Segue-se uma descida muito técnica onde só os mais audazes, e talvez mais inconscientes, a abordam em grande ritmo. A dureza deste troço ficará presente para sempre na memória de uma Caminheira que, na ânsia de correr como os Trailistas, fracturou o pé direito ficando em muito mau estado e obrigando à pronta intervenção dos Bombeiros que nos aguardavam no final da descida.

 

Ultrapassada esta fase mais dolorosa entramos no estradão em direcção à baixa de Palmela até fazermos uma incursão por um “single Trek” bem ao jeito dos BTTistas.

 

Aos oito quilómetros deparamo-nos com o único ponto de abastecimento. Seguimos por uma antiga estrada romana, já bem nossa conhecida dos anos anteriores, e que nos conduzirá até ao ponto mais alto do percurso. Lá em cima está o Castelo de Palmela avistado praticamente ao longo de toda a prova.

IMG-20190622-WA0006.jpgJá noite regressamos à Vila da Palmela. Os frontais acesos em algumas cabeças dão um espectáculo adicional, quais pirilampos surgindo do nada.

Terminada a prova para os nossos dois trailistas ficámos à espera dos Caminheiros. Tendo partido mais tarde do que nós, e percorrendo todo os troços mais difíceis do percurso, tínhamos de contar com cerca de uma hora até vislumbrarmos as nossas companheiras.

Começámos a fazer em sentido contrário as últimas centenas de metros do percurso. O nosso jantar de choco frito estava definitivamente posto de parte. Assim pelo meio íamos olhando para todos os lados à procura de sítio para comer e que estivesse aberto até tarde.

Encontrámos uma simpática Pizzaria – “Pizzas Da Vila” – que servia jantares até às onze horas da noite. Após concluírem a prova as duas Caminheiras e os seus dois Trailistas correram até aos carros para trocarem de roupa seguindo directamente para o restaurante. A simpatia dos empregados aliada ao conforto das instalações e à qualidade da comida foi uma opção que não ficou em nada atrás do repasto que tínhamos ambicionado para Setúbal. Fica para a próxima.

 

Mais um desafio superado. Só tivemos pena da falta do Tartaruga Frederico que não só não veio até Palmela como se manteve no anonimato não respondendo às nossas provocações e conversas no WhatsApp.

[Crónica de Carlos Gonçalves]

 

Vencedor: JOÃO BRAGADESTE (Individual): 0:53:26

 Atletas que concluiram a Prova: 251

Atletas Dorsal Escalão

Classificação Geral

Classificação Escalão

Tempo Oficial Tempo Líquido

Ritmo min/Km

Velocidade Km/h

Carlos Gonçalves
249 M60
149º

1:28:00
ND 7:02
8,52
Carlos Teixeira
250 M55
150º

1:28:15
ND 7:04
8,50

NOTA: O Ritmo e a Velocidade média foram calculados em função dos tempos líquidos

Corridas do Mês de Junho

  • 22 - Palmela Run (Palmela ) - 12,5 Km
  • 29 - Corrida das Fogueiras (Peniche)- 15 Km
  • 30 - Oeiras Trail (Barcarena) - 20 Km
publicado por Carlos M Gonçalves às 23:40

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. MEIA MARATONA DOS DESCOBR...

. CORRIDA EM VICTORIA PARK

. CORRIDA DA ÁGUA

. MARATONA DO PORTO

. CORRIDA DO MONTEPIO

. MARATONA DE LISBOA e LUSO...

. CORRIDA CLUBE MILLENNIUMB...

. CORRIDA DO TEJO

. CORRIDA DA LINHA MÉDIS

. MEIA MARATONA DE S. JOÃO ...

.arquivos

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

.links

.subscrever feeds