Segunda-feira, 11 de Fevereiro de 2013

20 KM DE CASCAIS - 30ª Edição

Trinta edições  é "obra". É com acontecimentos como este que se faz história, mormente a história do Atletismo popular em Portugal. Podem tirar-nos os feriados, podem tirar-nos a terça-feira de carnaval, podem até, sem que o possamos impedir, tirar-nos os nossos rendimentos. Mas pelo menos que não nos tirem estas coisas boas da vida ...

 

É já uma constante todos os anos termos de reprogramar as nossas "mini-férias de Carnaval" (para quem as tem) para podermos estar presente nos 20 KMS de Cascais.

 

O frio, o vento e a chuva não desmobilizam os mais resistentes e que fazem deste evento um dos pontos altos das suas épocas desportivas. De ano para ano cresce o número dos inscritos tendo-se esgotado este ano as vagas disponíveis para a prova principal. E nesta edição notámos bem o acréscimo de participantes tendo concluído a prova dos vinte quilómetros perto de quatrocentos atletas a mais do que em 2012.

 

Custe o que custar as LEBRES E TARTARUGAS voltaram a marcar presença e logo na máxima força. E cada vez mais a nossa força é maior pois o nosso atleta "esperança" teima, e bem, em acompanhar-nos com uma assiduidade cada vez maior. Não só promove o rejuvescenimento da equipa como ainda nos permite, quando exista, figurarmos na classificação por equipas.

 

A prova em si não trazia novidades. O percurso era o mesmo das edições anteriores e com as mesmas dificuldades. Os primeiros cinco quilómetros são passados dentro da simpática vila de Cascais. Concluído o aquecimento temos de nos fazer finalmente à "zona aberta" rumo ao Guincho. Com uma temperatura baixa, mas ainda assim normal para um dia de Fevereiro, e sem que a chuva marcasse presença, só nos restava "torcer" os dedos para que o vento não fosse muito forte. Sabíamos de antemão, pelas previsões meteorológicas, que o agravamento do tempo só estava previsto para o período da tarde. E assim foi. Depois de uma estirada praticamente em linha recta até ao ponto de inversão por volta dos doze quilómetros, cada um vai correndo no seu  próprio ritmo, ultrapassando e sendo ultrapassado por outros atletas. Entre os quilómetros dezasseis e dezassete econtramos a parte mais difícil, não tanto porque se trate de uma subida muito inclinada mas por ser um pouco longa e numa altura em que as forças já começam a faltar. Todavia os repetentes já estavam perfeitamente avisados para esta situação. Os dois últimos quilómetros, maioritariamente planos, parecem-nos os mais longos de toda a corrida. Uma última e derradeira subida até à marca dos dezanove qulómetros. Aí poderão ter terminado, teoricamente, as maiores dificuldades. Só que com o aproximar da meta ainda sentíamos algum fôlego, seja para irmos a tempo de ultrapassar alguns atletas mais adiantados, seja para tentarmos quebrar recordes individuais na prova e/ou na distância de vinte quilómetros. Com as últimas centenas de metros sempre a descer, à entrada para a Baía de Cascais, as nossas últimas tarefas estão aparentemente mais facilitadas. Mas só aparentemente. Descer em grande velocidade, e ao fim de muitos quilómetros nas pernas, incorre-se no risco de sermos ultrapassados por nós próprios. As pernas podem embrulhar-se uma na outra e com um grande "epalhanço". Mas não. Ainda não foi desta que isso aconteceu.

 

O balanço da nossa equipa foi extremamente positivo com vários recordes a serem quebrados.

 

Atletas que concluiram a prova: 1966 (1580 em 2012)

Vencedor: TELMO SILVA (AM Atiba): 1:05:01

 

BARTOLOMEU SANTOS  (Dorsal Nº 1367)

Classificação Geral: 868º - Classificação no Escalão (M20/M39): 164º

Tempo Oficial: 1:41:31/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 1:40:57

Tempo médio/Km: 5m:03s  <=> Velocidade média: 11,89Km/h (*)

 MELHOR TEMPO INDIVIDUAL NA DISTÂNCIA DE VINTE QUILÓMETROS

 

FREDERICO SOUSA  (Dorsal Nº1368)

Classificação Geral: 1555º - Classificação no Escalão (M45/49): 213º

Tempo Oficial: 1:56:35/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 1:55:57

Tempo médio/Km: 5m:48s  <=> Velocidade média: 10,35Km/h (*)

 

CARLOS TEIXEIRA  (Dorsal Nº 1369)

Classificação Geral: 587º - Classificação no Escalão(M50/54): 48º

Tempo Oficial: 1:35:45/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 1:35:07

Tempo médio/Km: 4m:45s  <=> Velocidade média: 12,62Km/h (*)

MELHOR TEMPO INDIVIDUAL NA PROVA E NA DISTÂNCIA DE VINTE QUILÓMETROS

 

CARLOS GONÇALVES (Dorsal Nº1370)

Classificação Geral: 534º - Classificação no Escalão (M55/59): 33º

Tempo Oficial: 1:34:46/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 1:34:10

Tempo médio/Km: 4m:42s  <=> Velocidade média: 12,74Km/h (*)

MELHOR TEMPO INDIVIDUAL NA PROVA E NA DISTÂNCIA DE VINTE QUILÓMETROS

 

(*) - O Tempo médio/Km e a Velocidade média foram calculados em função dos tempos cronometrados (tempo do chip)

 

Calendário para o mês de Fevereiro 

  • 3 - Grande Prémio José Afonso (Grândola) - 10 Km
  • 10 - 20 KM de Cascais
  • 24 - Grande Prémio do Atlântico (Costa de Caparica) - 10 KM

 

publicado por Carlos M Gonçalves às 16:57

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 8 de Fevereiro de 2013

GRANDE PRÉMIO JOSÉ AFONSO - Grândola

Felizmente que o Grande Prémio José Afonso continua a realizar-se, numa fase em que são muitas as provas emblemáticas que, por via de dificuldades orçamentais, não têm conseguido resistir a estes novos e conturbados tempos. Embora com menos participantes do que em 2012 mesmo assim ainda terminaram a prova principal de dez quilómetros perto de quinhentos atletas. Nos tempos que correm muitos daqueles que residem na zona da Grande Lisboa têm deixado de comparecer em corridas mais distantes. Por enquanto não é o caso das LEBRES E TARTARUGAS que, teimosamente e enquanto podem, continuam a inscrever-se na provas habituais. E se este ano iremos certamente participar em menos corridas tem mais a ver com uma melhor gestão de esforço por forma a não causar uma saturação nos nossos bravos guerreiros.

 

Numa manhã bem fria, aliás terrivelmente fria, e a que já não estamos muito habituados, dois dos TARTARUGAS encontraram-se e fizeram-se à estrada rumo à "GRÂNDOLA VILA MORENA". Um quarto de hora antes das dez da manhã chegámos à "TERRA DA FRATERNIDADE" e começámos logo à procura de um lugar para estacionar a viatura de serviço. Apesar de ser "O POVO QUEM MAIS ORDENA" só conseguimos estacionar às portas do cemitério local. Premonitório. Não fôsse não sermos minimamente supersticiosos e já estaríamos a pensar que estávamos perto do fim e à procura da nossa última morada. Não. Ainda temos muitas coisas para fazer neste Mundo.

 

Depois do levantamento dos dorsais, e da habitual e derradeira "visita" à casa de banho, regressámos ao nosso carro para nos prepararmos psicologicamente para corrida. Já sem os "abafos" encetámos o nosso aquecimento, bem necessário até porque, mesmo debaixo de um sol radioso, a temperatura do ar era teimosamente baixa.

 

Bem juntinhos com outros atletas aguardávamos pacientemente pelo sinal de início da prova. Com um começo diabólico os atletas lançaram-se em grande ritmo no ataque ao Grande Prémio José Afonso. Sabíamos, por experiência própria dos anos anteriores, que teríamos de dar algumas voltinhas dentro da zona urbana de Grândola até que, após os primeiro cinco quilómetros, enveredaríamos pela fase quiçá mais interessante da corrida. Por volta dos seis quilómetros aguardáva-nos a habitual, e tão esperada, zona "off the road" onde iríamos cumprir perto de dois mil metros em terra batida.

 

Após o quilómetro oito deixamos definitivamente a natureza e regressamos ao alcatrão para cumprir a parte final da corrida. Podíamos, e devíamos, começar a acelerar até à Meta. Duas pequenas, mas nesta altura já um pouco demolidoras, subidas nos separavam do arranque para o "sprint" final. Os últimos mil metros eram praticamente sempre a descer. Era aqui que tudo se decidiria. E os TARTARUGAS decidiram bem pois não só ambos superaram as respectivas marcas de anos anteriores como um deles estabeleceu mesmo um recorde individual na distância de dez quilómetros. E este ano foram mesmo dez quilómetros. Em 2012 o carro da organização enganou-se no percurso e retirou mais de um quilómetro à prova, o que não aconteceu em 2013.

 

Após cruzarem a meta os atletas estão felizes pelo seu desempenho e já começam a pensar nas próximas corridas. No próximo fim de semana esperam-nos os tradicionais e muito concorridos "20 Km  de Cascais". E também já se delineou o calendário para os próximos tempos.

 

Atletas que concluiram a prova: 448 (695 em 2012)

Vencedor: NIKOLAY CHAVKIN (Rússia): 0:29:30

 

CARLOS TEIXEIRA  (Dorsal Nº 312)

Classificação Geral: 206º - Classificação no Escalão(M50): 21º

Tempo Oficial: 0:45:33/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 0:45:28

Tempo médio/Km: 4m:33s  <=> Velocidade média: 13,20Km/h (*)

MELHOR TEMPO INDIVIDUAL NA PROVA E NA DISTÂNCIA DE DEZ QUILÓMETROS

 

CARLOS GONÇALVES  (Dorsal Nº 311)

Classificação Geral: 193º - Classificação no Escalão (M55): 13º

Tempo Oficial: 0:45:04/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 0:44:55

Tempo médio/Km: 4m:29s  <=> Velocidade média: 13,36Km/h (*)

MELHOR TEMPO INDIVIDUAL NA PROVA

 

(*) - O Tempo médio/Km e a Velocidade média foram calculados em função dos tempos cronometrados (tempo do chip)

 

 

Calendário para o mês de Fevereiro

 

  • 3 - Grande Prémio José Afonso (Grândola) - 10 Km
  • 10 - 20 KM de Cascais
  • 24 - Grande Prémio do Atlântico (Costa de Caparica) - 10 KM
publicado por Carlos M Gonçalves às 00:55

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 1 de Fevereiro de 2013

GRANDE PRÉMIO DO FIM DA EUROPA

Após um interregno em 2012 este ano os atletas regressaram em força à Serra de Sintra para cumprirem, e disputarem, mais uma edição do Grande Prémio do Fim da Europa.

 

Na realidade há um ano atrás, por força da não realização oficial desta corrida, um conjunto de entusiastas conseguiu reunir algumas centenas de atletas para o então chamado "Treino do Fim da Europa". Mais do que  participar numa prova de atletismo o que prevaleceu nos nossos espíritos foi o não deixar morrer aquela que muitos afirmam ser a mais bela corrida das que se realizam no nosso País "à beira mar plantado". Deixando os eventuais exageros de lado, e ressalvando as diferentes opiniões, esta é, sem dúvida, uma bela corrida. Um cenário encantador que tem o mérito de conseguir que, num domingo de Janeiro, largas centenas de pessoas troquem o conforto do lar por uma fria, húmida e até chuvosa manhã na mítica Serra de Sintra. E ainda por cima para se cansarem.

 

Muitos não conseguem dizer exactamente onde começa o continente Europeu. Agora todos sabem que é em Portugal, no Cabo da Roca, que a Europa acaba e o mar começa.

 

O traçado da prova mantém-se inalterável ao longo dos anos. Todos já o conhecem de cor e salteado. Mas não deixa mesmo assim de ser encantador. A cada ano que passa parece-nos até menos difícil. São perto de três quilómetros sempre a subir onde a principal dificuldade não é o declive mas a elevada aglomeração de atletas. Serpenteando Serra acima segue-se a, porventura, mais interessante secção entre os quilómetros cinco e dez. E depois lá encontramos a terrível e demolidora "parede" aos dez quilómetros. Tudo pareceu mais fácil excepto isto. Com grande esforço e espírito de sacrifício ultrapassamos a fase mais dura da corrida. Depois sabemos que são cerca de sete quilómetros sempre a descer. A um ritmo vertiginoso temos de, essencialmente, evitar que as pernas se enrolem umas nas outras e que dêem em "espalhanço certo". O esforço e o cansaço são de tal maneira elevados que já nem conseguimos "sprintar" para a meta.

 

Mas mesmo assim valeu a pena. Mais uma vez vimos alguns dos nossos recordes a cairem.

 

Terminada a corrida, e depois do reagrupamento da "equipa", só temos de regressar a Sintra.

 

Uma ideia ficou no ar: para o ano acabamos com a "cena" de ir deixar de manhã bem cedo um carro no Cabo da Roca. Que tal fazer o "retorno à casa da partida" a correr cumprindo em sentido contrário o Grande  Prémio do Fim da Europa? Muitos já o fazem. E não são mais malucos do que nós ... Fica o desafio para 2014.

 

Atletas que concluiram a prova: 898

Vencedor: ALBERTO CHAÍÇA (Clube de Atletismo dos Amigos do Parque da Paz: 0:58:59

 

FREDERICO SOUSA  (Dorsal Nº975)

Classificação Geral: 755º - Classificação no Escalão (M45): 118º

Tempo Oficial: 1:44:36/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 1:43:56

Tempo médio/Km: 6m:08s  <=> Velocidade média: 9,78Km/h (*)

 

CARLOS TEIXEIRA  (Dorsal Nº 976)

Classificação Geral: 269º - Classificação no Escalão(M50): 26º

Tempo Oficial: 1:25:17/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 1:24:37

Tempo médio/Km: 5m:00s  <=> Velocidade média: 12,02Km/h (*)

MELHOR TEMPO INDIVIDUAL NA PROVA

 

CARLOS GONÇALVES (Dorsal Nº977)

Classificação Geral: 234º - Classificação no Escalão (M55): 8º

Tempo Oficial: 1:24:05/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 1:23:25

Tempo médio/Km: 4m:55s  <=> Velocidade média: 12,19Km/h (*)

MELHOR TEMPO INDIVIDUAL NA PROVA

 

(*) - O Tempo médio/Km e a Velocidade média foram calculados em função dos tempos cronometrados (tempo do chip)

 

Corridas do mês de Janeiro

 

  • 13 - Corrida de S. Domingos de Benfica (Lisboa) - 15 Km
  • 20 - Corrida Luzia Dias (Lisboa) - 10 Km
  • 27 - Grande Prémio do Fim da Europa (Sintra/ Cabo da Roca) - 16,945 Km

 

Calendário para o mês de Fevereiro

 

  • 3 - Grande Prémio José Afonso (Grândola) - 10 Km
  • 10 - 20 KM de Cascais
  • 17 - Grande Prémio de Mem Martins - 10 Km ==> a confirmar
  • 24 - Grande Prémio do Atlântico (Costa de Caparica) - 10 KM ==> a confirmar

 

publicado por Carlos M Gonçalves às 23:27

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. MARGINAL À NOITE

. CORRIDA DO ORIENTE

. CORRIDA DE BELÉM

. DIA DESPORTO ALLIANZ

. LX TRAIL MONSANTO

. CORRIDA CIDADE DE VENDAS ...

. TRILHO DAS LAMPAS

. MEIA MARATONA DE SETÚBAL

. CORRIDA DO 1º DE MAIO

. CORRIDA DA LIBERDADE

.arquivos

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

.links

.subscrever feeds