Quinta-feira, 10 de Fevereiro de 2011

GRANDE PRÉMIO DO FIM DA EUROPA

Até onde irão as TARTARUGAS?

A participação no Grande Prémio do Fim da Europa repete-se e com grandes razões para sorrirem. Todos as três Tartarugas melhoraram os tempos relativamente a 2010. Estarão melhor preparados? Sim, sem dúvida. Mas o facto de já conhecermos o traçado e as dificuldades que se nos deparam, curva após curva, metro após metro, dão-nos uma maior preparação psicológica para encontrarmos o melhor antídoto para ultrapassar os diversos obstáculos. Aquela subida, apetece-me dizer escalada, por volta do quilómetro dez foi uma das maiores dificuldades que encontrámos no ano passado tendo levado a que alguns dos que não conheciam o percurso quase desistissem, pelo menos deixaram de correr. Em 2011, e já sabendo de antemão que afinal apesar de íngreme não era muito longa, motivou os atletas a considerarem que se tratava de um obstáculo superável sabendo que a partir de então era praticamente sempre a descer até à meta.

 

O Grande Prémio do Fim da Europa tem vindo a ganhar, ano após ano, cada vez mais participantes. É uma daquelas corridas que, vista no papel, diga-se perfil altimétrico, tem todos os sinais para tomarmos a decisão de que não vale a pena correr por ser muito exigente. Mas passando do "papel" à prática torna-se uma corrida viciante. Quando se participa uma vez pensa-se logo na próxima. O belo, deslumbrante, luxuriante, encantador  cenário da Serra de Sintra constitui por si só um incentivo à participação. A Serra de Sintra é única. Não há palavras para descrever aquilo que vemos. E então se tivermos uma manhã como a que encontrámos este ano então podemos quase dizer que estamos no paraíso.

 

A manhã estava fria. O Sol a espreitar por entre as árvores introduzia contrastes e alternância de luminosidades que dificilmente se conseguem descrever. Nem mesmo o melhor fotógrafo capta na plenitude o ambiente de uma manhã solarenga na Serra de Sintra. Só mesmo estando lá se consegue ter a real noção daquela envolvência espectacular.

 

O dia começou cedo. Havia que deixar um carro o mais próximo possível da meta. O mais à frente que nos deixaram ir foi até à localidade de Azóia. Estabelecido o encontro de dois atletas havia que rumar até Sintra, fazendo em sentido inverso o percurso da corrida, para nos juntarmos à terceira Tartaruga que nos esperava no Parque de Estacionamento perto do local da partida. Tivémos assim oportunidade de rever o traçado e, acima de tudo, disfrutarmos em toda a plenitude o idílico cenário já descrito. As palavras eram insuficientes para traduzir aquilo que íamos presenciando. E esta viagem teve também o condão de nos permitir um último reconhecimento do percurso e afinarmos a melhor estratégia para abordar a corrida sem sofrimento e com muito encanto.

 

Nos momentos que antecederam a partida é visível a azáfama habitual nestas provas. E sente-se no ar o "nervosismo" e a ânsia pelo começo da corrida. E também nos apercebemos que este ano ali estavam mais participantes.

 

Dado o "tiro" de partida começa a cavalgada dos primeiros três quilómetros. E este ano até tudo pareceu mais fácil. Um olhar para cima e vemos os atletas mais adiantados e por onde ainda iremos passar. Nada de desânimo. Olhando na direcção oposta vemos igualmente uma estrada completamente pintalgada pelos atletas mais atrasados. Na fase do planalto, porventura o troço mais bonito da corrida, começam as trocas de palavras entre atletas entabulando-se as conversas habituais: "afinal isto até está a ser mais fácil", "esta é a minha primeira vez e vou à descoberta", "já no ano passado, e no anterior, disse que não me voltariam a apanhar aqui ... mas cá estou", "vou recuperar alguns lugares na descida (no ano passado contei até 150 e desisti)", "já não tenho idade para isto" ... Isto é um vício. Um bom vício diga-se.

 

Após o segundo abastecimento lá vem a derradeira escalada. Pronto, já perdemos os minutos que tínhamos a perder relativamente a uma corrida normal. Agora há que recuperar na descida. Mas atenção pois para muitos o esforço muscular ainda acaba por ser maior. É preciso travar para não irmos descontroladamente e aos trambolhões por ali abaixo. Passando por Azóia, e já no serpentear dos últimos quilómetros, a Meta começa a ficar à vista. Um derradeiro esforço, um último sprint nos últimos metros na tentativa de se melhorarem os tempos. E nesse aspecto todos os três Tartarugas esbateram as marcas de 2010.

 

A recuperação é feita logo a seguir à meta antes de entrarmos naquela estufa, direi mesmo forno, que foi a tenda onde estavam à nossa disposição desde chá quente até massagens recuperadoras. Mas como alguns de nós dão-se mal com o calor em excesso é prioritário sair daquele local e nos fazermos à estrada. Ainda tínhamos alguns quilómetros para percorrer a pé até ao carro. Apesar do esforço da corrida este "passeio" até não custou muito a fazer. Em amena cavaqueira lá fomos falando das emoções vividas e fomos fazendo, sem que nos apecebêssemos, a chamada recuperação activa.

 

De regresso ao local da partida já falávamos nas próximas corridas e que para o ano cá estaríamos de novo.

 

Atletas que concluiram a prova: 1554 (1453 em 2010)

Vencedor: José Maduro(Maduroatletics) - Tempo Oficial: 0:53:16

 

FREDERICO SOUSA

 

Classificação Geral: 1249º- Classificação no Escalão M45: 197º

Tempo Oficial: 1:41:09/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 1:40:30

Tempo médio/Km: 5m:50s  <=> Velocidade média: 10,27 Km/h (*)

MELHOR TEMPO INDIVIDUAL NA PROVA 

CARLOS TEIXEIRA

Classificação Geral: 1199º - Classificação no Escalão M50: 114º

Tempo Oficial: 1:39:35/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 1:38:57

Tempo médio/Km: 5m:17s  <=> Velocidade média:11,37 Km/h (*)

MELHOR TEMPO INDIVIDUAL NA PROVA  

CARLOS GONÇALVES

 

Classificação Geral: 970º - Classificação no Escalão M50: 88º

Tempo Oficial: 1:33:22/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 1:32:44

Tempo médio/Km: 5m:28s  <=> Velocidade média: 10,96Km/h (*)

MELHOR TEMPO INDIVIDUAL NA PROVA 

 

(*) - O Tempo médio/Km e a Velocidade média foram calculados em função dos tempos cronometrados (tempo do chip)

 

Corridas do mês de Janeiro

  • 16 - Corrida de S. Domingos de Benfica (Lisboa - 10 Km)
  • 30 - Grande Prémio do Fim da Europa (Sintra/Cabo da Roca - 16,945 Km)

Calendário para o mês de Fevereiro

  • 6 - Grande Prémio José Afonso (Grândola - 10 Km)
  • 13 - Grande Prémio do Atlântico (Costa de Caparica - 10 Km)
  • 27 - Corrida da Árvore (Monsanto/Lisboa - 10 Km)
publicado por Carlos M Gonçalves às 00:08

link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. CORRIDA CLUBE MILLENNIUMB...

. CORRIDA DO TEJO

. CORRIDA DA LINHA MÉDIS

. MEIA MARATONA DE S. JOÃO ...

. TRAIL DOS MOINHOS SALOIOS

. CORRIDA DAS FOGUEIRAS

. OEIRAS TRAIL

. PALMELA RUN

. Lx Trail Monsanto

. CORRIDA DE BELÉM

.arquivos

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

.links

.subscrever feeds