Sábado, 26 de Março de 2016

MEIA MARATONA DE LISBOA

Esta será, talvez, a mais estranha crónica de todas as que narram as corridas das LEBRES E TARTARUGAS. Com um dos atletas ausente de Portugal em férias Pascais, e com o outro provavelmente atafulhado em afazeres profissionais e pessoais, coube ao terceiro atleta a responsabilidade de redigir algumas palavras sobre a Meia Maratona de Lisboa e na qual não participou. Ainda aguardou pelo texto dos seus colegas mas sem sucesso. Assim, e para que nenhuma prova fique sem a respectiva “história, lançou mãos à obra e passou ao papel algumas ideias baseadas não só no que os seus dois colegas lhe relataram (pouco) mas também na sua experiência de anteriores edições.

 

Vamos a isso.

 

No passado fim de semana a equipa das LEBRES E TARTARUGAS voltou à actividade. Apenas dois dos elementos fundadores marcaram presença numa clássica do atletismo luso e que desfruta de uma notoriedade além-fronteiras sendo uma das provas na qual os atletas africanos se sentem mais à vontade. O Carlos Gonçalves interrompeu uma série de participações nesta meia maratona devido ao baptizado do seu neto Afonso marcado precisamente para o Domingo 20 de Março. Convém lembrar que foi na Meia Maratona da Ponte 25 de Abril que o Carlos Gonçalves, o Carlos Teixeira e o Frederico Sousa participaram pela primeira vez em conjunto numa prova de atletismo. Iniciaram uma nova página na sua história de desportistas após alguns anos em que os seus caminhos se cruzaram no seio de outra modalidade.

 

A Meia Maratona de Lisboa, por se iniciar na Praça da Portagem da Ponte 25 de Abril e terminar mesmo em frente ao Mosteiro dos Jerónimos, obriga a uma logística algo complicada. Nos últimos anos o Carlos Gonçalves deslocava-se de manhã bem cedinho a Lisboa e recolhia os seus dois companheiros e amigos na zona da Estação Fluvial de Belém e transportava-os até à zona do Pragal para todos, em conjunto, procurarem um lugar na “Grelha de Partida”. Este ano as coisas ficaram um pouco mais complicadas. Assim os dois tartarugas da margem “norte” de Lisboa tiveram de arranjar uma solução alternativa. Com recurso aos transportes públicos disponíveis, de autocarro (ou à boleia de alguém?) apanharam (presume-se) o combóio da Fertagus até à Estação do Pragal e daí caminharam até à linha de partida. Como as condições meteorológicas se apresentavam mais adversas os dois atletas equiparam-se com sacos/manga de plástico para se protegerem da chuva bem como de golas para que as respectivas gargantas não viessem a sofrer com a baixa temperatura prevista para esta manhã de Domingo.

 

À hora prevista, penso eu, deu-se início a um evento que junta no mesmo cenário atletas de competição e caminhantes cujo principal objectivo é atravessar a pé a Ponte 25 de Abril, um feito não alcançável em condições normais do “dia-a-dia”.

 

Talvez porque tenham partido bem mais perto da frente do que é habitual, os dois atletas das LEBRES E TARTARUGAS não sentiram tanto a confusão e os atropelos comuns nas edições anteriores.

 

A fazer fé nas anteriores edições, só quando se deu em Alcântara a separação entre a Meia e a Mini Maratona é que houve tempo para cada um se encaixar no seu ritmo. Tem sido assim sempre e, o mais provável, é que assim tenha sido em 2016. O percurso, salvo algumas ligeiras alterações na zona do Cais do Sodré motivadas pelas obras que nunca mais parecem acabar, foi o mesmo dos últimos anos. Até a fatídica recta do Dafundo deve ter feito das suas, principalmente até à viragem no ponto de retorno.

 

Satisfeitos como sempre os atletas Catela e Frederico terminaram mais uma prova a juntar ao seu já longo palmarés. Os objectivos eram diferentes, mas ambos se esforçaram por honrar o nome das LEBRES E TARTARUGAS. O Carlos Teixeira conseguiu mesmo o melhor registo nesta Meia Maratona. Para os mais curiosos esclarece-se que o Frederico correu com o dorsal do ausente Carlos Gonçalves.

 

E está assim terminada uma crónica “cega” mas que não deixa sem registo a Meia Maratona de Lisboa.

 

Atletas que concluiram a prova: 10274

Vencedor: SAMMY KIROPI KITWARA (Quénia) - 0:59:44

 

CARLOS TEIXEIRA (Dorsal Nº 2515)

Classificação Geral: 2523º - Classificação no Escalão M55: 114º

Tempo Oficial: 1:46:54/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 1:45:36

Tempo médio/Km: 5m:00s  <=> Velocidade média: 11,99Km/h (*)

 

FREDERICO SOUSA (Dorsal Nº 2625)

Classificação Geral: 8723º - Classificação no Escalão M55: Não considerado por ter corri com o dorsal de outro atleta

Tempo Oficial: 2:23:05/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 2:21:46

Tempo médio/Km: 6m:43s  <=> Velocidade média: 8,93Km/h (*)

(*) - O Tempo médio/Km e a Velocidade média foram calculados em função dos tempos cronometrados (tempo do chip)

 

Corridas do Mês de Março

  • 6 - Trail da Barreira (Leiria) - 26 Km
  • 6 - Corrida das Lezírias (V. F. Xira) - 15,5 Km
  • 13 - Trilhos da Costa Saloia (Mucifal) - 23 Km
  • 13 - Corrida de Solariedade de Apoio à Vítima - 10 Km
  • 20 - Meia Maratona de Lisboa  - 21,0975 Km

Calendário para o Mês de Abril

  • 3 - Trilhos do Almourol (Entroncamento) - 25/42 Km
  • 3 - Corrida dos Sinos (Mafra) - 15 Km
  • 10 - Trilhos do Pastor (S. Mamede/Batalha) - 25 Km
  • 10 - Corrida do SLB (LIsboa) - 10 Km
  • 17 - Cork Trail Running (Coruche/Erra)  - 23 Km
  • 17 - Estafeta Cascais/Lisboa - 20 Km
  • 24 - Montejunto Trail - 38 Km
  • 25 - Corrida da Liberdade (Lisboa) - 11 Km
publicado por Carlos M Gonçalves às 00:29

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. CORRIDA DAS CASTANHAS

. MARATONA DO PORTO

. 20 KMS DE ALMEIRIM

. CORRIDA DO MONTEPIO

. MARATONA DE LISBOA

. CORRIDA SAMS QUADROS

. CORRIDA DO TEJO

. CORRIDA DA LINHA

. MEIA MARATONA DE S. JOÃO ...

. CORRIDA DOS MOINHOS DE PE...

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

.links

.subscrever feeds