Segunda-feira, 11 de Janeiro de 2016

GRANDE PROVA DE ATLETISMO DO CAMARNAL

100 Corridas.pngO início da trigésima terceira edição da Grande Prova de Atletismo do Camarnal estava há muito marcado para este Domingo 10 de Janeiro. A equipa das LEBRES E TARTARUGAS está presente pela terceira vez.

 

Em 2010 deu-se a nossa estreia nesta corrida que o Frederico teve a sorte de encontrar. Dessa nossa participação ficou-nos na memória o extremo amadorismo da prova mas que deixa inveja a outras organizações que, com outro meios, não conseguem criar uma corrida simples e na qual tudo funcione a preceito. WP_20160110_10_10_13_Pro.jpg

Nos anos seguintes andámos à procura desta corrida mas sem qualquer sucesso. Episodicamente encontrávamos notícias soltas mas com comentários sobre a realização de mais uma edição. No entanto nunca conseguíamos saber por antecipação a data de uma corrida que conta com um respeitável número de realizações. Até que em 2014, no final da Corrida São Silvestre de Lisboa, alguém nos coloca na mão um pequeno panfleto anunciando a data da 32ª edição. Finalmente tínhamos encontrado o seu rasto e logo inscrevemos quatro atletas.

 

Tendo ficado registado o nosso endereço de correio electrónico foi com grande satisfação que, em meados de Dezembro de 2015, caíu na “mailbox” das LEBRES E TARTARUGAS toda a informação sobre a trigésima terceira edição. Não podíamos, uma vez mais, perder a oportunidade de regressar a um local onde fomos felizes.

 

A freguesia do Camarnal situa-se a escassos trinta a quarenta minutos de Lisboa, no concelho de Alenquer. Mas, apesar da grande proximidade da grande Capital, mais parece que estamos algures na grande “província” de Portugal. Não que seja encarado com desprimor a utilização do termo província mas antes reflecte como são puras e genuínas as pessoas destes pequenos aglomerados populacionais.

 

Esta é, provavelmente, uma das mais amadoras provas em que temos participado. Mas nem por isso deixa de ser uma corrida que nos atrai. Não existe uma página oficial da Internet com regulamento, ficha de inscrição e outras informações úteis aos potenciais participantes. Nesta nossa participação verificámos que tudo se mantinha como dantes. Os dorsais, como manda a tradição, são-nos entregues dentro de um saco de pão em papel como o nome da “equipe” escrito no exterior, e são um “simples” pedaço de papel apenas com o número do atleta. E o “chip” improvisado, e adoptado pelo menos desde o ano passado, é uma pequena tira plastificada com o número e o nome do atleta e que deveremos colocar ao pescoço. Só quando terminamos a corrida é que temos de entregar este adorno que nos acompanhou ao longo de toda a corrida. Serve para controlar a ordem de chegada dos atletas. Mas como é registado o tempo de cada um? É um mistério que fica para resolver.

 

Quando nos aproximamos das dez e trinta nota-se um movimento dos atletas em direcção à manga de partida. E constatamos que, tal como em anos anteriores, serão pouco mais de uma centena de participantes. Do alto de um palanque improvisado, à altura de um primeiro andar, a organização encarrega-se de transmitir um conjunto de informações úteis aos atletas. Mas, no seu momento de convívio, pouca ou nenhuma atenção é dada ao “speaker”. Interrompem a sua conversa para algumas palmas de circunstância após o orador ter falado.

 

O tiro de partida é dado por um estridente apito como os da polícia ou dos árbitros de Futebol. ”É penalti”. E todos partem, não para cobrarem o castigo máximo do jogo, mas para se lançarem à corrida.

 

O percurso é igual ao dos outros anos. Contrariamente ao que pudéssemos esperar a Grande Prova de Atletismo do Camarnal é tudo menos uma prova plana. Logo à partida temos uma primeira subida bastante íngreme que parte desde logo o pelotão. Em sobe e desce cumprimos pela primeira vez um percurso que iremos repetir após a segunda passagem pelo Camarnal. Está tudo com dantes. Inalterável. Até a demolidora, agora talvez já nem tanto, subida da Bemposta que o Carlos Catela tinha guardado na sua memória desde 2010.

 

Sem grandes surpresas cada um dos Tartarugas realiza a corrida dentro das suas actuais capacidades e limitações. À partida o Frederico comentava que numa corrida como esta, com repetição do percurso, o nosso grande adversário é podermos ser “dobrados” pelos primeiros classificados. Mas logo se tranquilizou, e também aos outros dois companheiros, pois os nossos tempos são sempre inferiores ao dobro do dos vencedores, isto numa corrida de dez quilómetros.

 

Depois de termos ultrapassado os diversos obstáculos que se nos depararam, com particular destaque para um vento forte que ora soprava pelas nossas costas ora pela frente, concluímos a nossa participação na 33ª edição da Grande Prova de Atletismo do Camarnal. E, a menos que surja alguma sobreposição de datas com outra prova igualmente emblemática, certamente que regressaremos daqui a um ano. Se possível com uma comitiva mais alargada.

 

Atletas que concluiram a prova: 145

Vencedor: PEDRO ARSÉNIO (GDR Reboleira) - 0:32:33

 

CARLOS TEIXEIRA (Dorsal Nº 32)

Classificação Geral: 95º - Classificação no Escalão Vet IV: 11º

Tempo Oficial: 0:48:41/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 0:48:34

Tempo médio/Km: 4m:51s <=> Velocidade média: 12,35 Km/h(*)

 

FREDERICO SOUSA (Dorsal Nº 33)

Classificação Geral: 130º - Classificação no Escalão Vet III: 22º

Tempo Oficial: 0:59:28/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 0:59:21

Tempo médio/Km: 5m:56s <=> Velocidade média: 10,11 Km/h(*)

 

CARLOS GONÇALVES (Dorsal Nº 34)

Classificação Geral: 111º - Classificação no Escalão Vet IV: 14º

Tempo Oficial: 0:51:17/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 0:51:10

Tempo médio/Km: 5m:07s  <=> Velocidade média: 11,73Km/h (*)

 

(*) - O Tempo médio/Km e a Velocidade média foram calculados em função dos tempos cronometrados (tempo do chip)

 

Calendário do Mês de Janeiro

  • 10 - GP de Atletismo do Camarnal (Camarnal/Alenquer) - 10 Km
  • 17 - Corrida dos Adeptos e dos Simpatizantes (Lisboa) - 10 Km
  • 31 - Grande Prémio do Fim da Europa (Sintra/Cabo da Roca) - 16,945 Km
publicado por Carlos M Gonçalves às 23:29

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. MEIA MARATONA DE S. JOÃO ...

. CORRIDA DOS MOINHOS DE PE...

. REGRESSO ÀS AREIAS

. PALMELA RUN

. CORRIDA DO SPORTING

. Corrida das Fogueiras – O...

. CORRIDA DO ORIENTE - Mant...

. CORRIDA DE SANTO ANTÓNIO

. CORRIDA DE BELÉM

. LISBON ECO MARATHON

.arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

.links

.subscrever feeds