Terça-feira, 31 de Dezembro de 2013

BALANÇO DO ANO 2013

Poucas horas nos restam para ouvirmos as doze badaladas que anunciam o começo de um novo ano e que, ao mesmo tempo, dão por terminado um ano do qual não guardaremos todos, ou pelo menos a maioria, boas recordações em termos da ginástica financeira que tivemos de pôr em prática para manter as nossas vidas equilibradas e com alguma esperança no futuro.

 

Não podemos dar por encerrado este ano de 2013 sem fazer algumas contas no que à prática desportiva das LEBRES E TARTARUGAS diz respeito. Aqui podemos dizer que a crise nos passou ao lado. Sem entrar numa contabilidade exaustiva, e por vezes enfadonha, com a apresentação de números e mais números que justifiquem aquilo que de bom fizemos nestes últimos doze meses, apenas daremos realce ao que de significativo realizámos e que ficará guardado para sempre nas nossas memórias. Não queremos imitar o papel dos políticos, governantes ou não, que nos sufocam com indicadores que servem unicamente de base às suas teses sobre o (bom ou mau) desempenho do nosso cantinho mais ocidental da Europa.

 

Foi um ano repleto de sucessos com quebras constantes de recordes individuais, participação em novas provas e o cumprimento de milhares de quilómetros que certamente nos levariam a algumas cidades europeias. E não estamos a falar de cidades fronteiriças como Badajoz. Chegaríamos seguramente mais longe, uns mais do que outros. Não podemos só contabilizar as distâncias percorridas em cada prova mas, e com maior valor, teremos também de pensar nos milhares de metros cumpridos nos nossos treinos de preparação para melhorarmos a nossa forma desportiva. E este 2013 foi um ano de grandes desafios.

 

Este foi o ano em que todos os LEBRES E TARTARUGAS passaram a pertencer à elite dos Maratonistas. Depois de em 2011 e 2012 dois atletas terem cumprido a prova rainha do atletismo de estrada ficou lançado o desafio ao nosso corredor mais novo para fazer o exame de avaliação que o certificaria como um verdadeiro atleta de FUNDO. E cumpriu. E, facto digno dos nossos maiores elogios, tendo em consideração a sua pouca disponibilidade para seguir um plano de treinos mais exigente, não realizou uma mas DUAS Maratonas, e logo no espaço de um mês.

 

Este ano ficou também marcado pela nossa estreia em novos teatros de corridas. Participámos em novos eventos de que salientamos a Meia Maratona de Almada e os 15 quilómetros do Ribatejo. Fizémos a nossa primeira corrida  nocturna, e logo em regime de trail – Trilhos das Lampas. As LEBRES E TARTARUGAS associaram-se à primeira edição do BES Run Challenge que se dividiu por três corridas: Cascais, Sintra e Lisboa.

 

A cereja no topo do bolo foi a adesão à primeira edição da Lisbon Eco Marathon que se realizou no espectacular cenário da Serra de Monsanto. Foi uma Maratona em montanha e à noite. Além da dureza natural do percurso tivemos ainda a “sorte” de levarmos pela frente com uma das mais quentes, senão mesmo a mais acalorada, noites do ano. Foi bom para uns e mau (muito mau) para outros. Nesta corrida tivemos peripécias pelas quais ainda não tínhamos passado, desde “atalho” inconsciente ao percurso até algumas quedas e desorientação do atleta que se perdeu mais do que uma vez. Um fez a menos o que o outro talvez tenha feito a mais. Mas são episódios como estes que constroem a nossa história de desportistas. Na altura não ficámos muito satisfeitos com a situação mas agora, à distância de alguns meses, certamente que nos deixam escapar algum sorriso de satisfação. Já no último trimestre o Federico participou num misto de corrida e de passeio realizado na Tapada de Mafra.

 

E em 2013 houve também espaço para se cometerem algumas loucuras.

 

Além da repetição da demolidora Ultra Maratona Atlântica Melides – Tróia( em 2012 o atleta tinha garantido em cima da meta que não voltaria a repetir esta corrida) houve a participação numa terrível Ultra Trail de Sesimbra com meia centena de quilómetros “off the road”. E, a culminar um longo período de preparação, as LEBRES E TARTARUGAS passaram a ter um nome associado como “finisher” à Ultra Trail de S. Mamede com uma extensão de 100 quilómetros e mais de vinte e duas horas em constante actividade.

 

Todas as corridas ficam no nosso coração. Mas algumas deixaram bastantes marcas como foi o Trail Castelo de Abrantes em que chegámos já depois do controlo ter encerrado. Mas também recordamos com grande satisfação o grande lamaçal em que decorreu grande parte dos Trilhos do Almourol.

 

Há também que registar com bastante agrado a adesão ao nosso grupo de um atleta significativamente mais novo e que nos permitirá, a partir de aqui, ver com maior regularidade o nome das LEBRES E TARTARUGAS nas classificações por equipas. O HUGO FERREIRA é o nosso novo “ponta-de-lança” e sobre os ombro do qual se depositam as nossas esperanças de ver o nome do nosso grupo brilhar bem alto. Apesar de se ter iniciado este ano nas corridas de uma forma mais regular o Hugo conseguiu um feito assinalável. Logo no ano de estreia cumpriu duas maratonas e com tempos recordes relativamente às nossas marcas.

 

Mas isto não nos chega. Para 2014 queremos mais, muito mais. A dificuldade está entre marcar presença nas provas mais emblemáticas – GP Fim da Europa, 20 Km de Cascais, Meias Maratonas de Lisboa, Corrida do 1º de Maio, etc., etc., etc.) – e ao mesmo tempo abalançarmo-nos a novos eventos.

 

As LEBRES E TARTARUGAS não param. Na realização do nosso primeiro Jantar de Natal o calendário de provas do  CARLOS FONSECA marcou também presença. De pressa, e antes de começarmos o ataque ao jantar, entre uma “trinca” num rissol ou num pedaço de queijo e um gole de néctar (os atletas também bebem e não é só água), o Carlos Teixeira lá ia desfiando as provas previstas para 2014. Tomando nota das preferências de cada um dos presentes elaborou aquilo que ficou designado como um “Forecast” para o ano que vai começar. Concerteza que não iremos cumprir na íntegra este plano de acções para 2014. Se for necessário realizaremos reuniões de “Controlo do Plano” para analisar desvios aos nossos objectivos e, se necessário, programar novas acções. Até parecemos uma organização a sério.

 

Divulgamos neste nosso espaço o “draft” acertado no final do Jantar para quem nos quiser acompanhar ou, pelo menos, seguir as nossas sugestões. Há que realçar que no nosso calendário de provas foi incluída uma possível participação além fronteiras na Maratona de Sevilha.

 

FELIZ ANO DE 2014

 

publicado por Carlos M Gonçalves às 00:48

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 30 de Dezembro de 2013

SÃO SILVESTRE DE LISBOA

No passado sábado os Tartarugas Frederico Sousa e Carlos Teixeira participaram na 6ª edição da S. Silvestre de Lisboa, de salientar que com esta participação estes dois atletas estiveram presentes em todas as edições desta prova até agora realizadas.

 

Esta prova bateu este ano o record de inscrições 8.000 mais 2.000 que em 2013, demonstrando o interesse cada vez maior dos portugueses pelo atletismo e por esta prova que se realiza num ambiente de festa espetacular em pleno centro da nossa capital.

 

Em relação ao ano passado o percurso sofreu algumas alterações, assim quando chegamos ao Cais do Sodré seguimos em frente em direção à avenida 24 de Julho e no regresso em vez de seguirmos para Santa Apolónia viramos logo no Terreiro do Paço em direção à rua da Prata, na fase final da prova em vez de irmos ao Saldanha, contornarmos a majestosa estátua do Marquês de Pombal e seguimos velozmente em direção à chegada no final da Avenida da Liberdade.

 

A partida teve a novidade de se ter dado a toda a largura da Avenida da Liberdade, antes da mesma o speaker anunciou  o nome dos principais atletas que iam participar na já tradicional guerra dos sexos e que acabou por ser ganha pelas mulheres.

 

Cinco minutos antes da partida o S. Pedro fez das suas tendo começado a cair uma chuva bem fresquinha e que se veio a prolongar pelos primeiros Kms da corrida, e que tornou o piso mais escorregadio ao longo de todo o percurso.

 

Os primeiros dois kms da corrida foram difíceis devido ao grande aglomerado de atletas principalmente no Rossio e na Rua do Ouro e só na transição entre a Rua do Arsenal e o Cais do Sodré foi possível correr mais desafogadamente, nos kms seguintes percorridos na 24 de Julho procurou-se recuperar o tempo perdido no início da prova, a temperatura fresca e a superfície plana convidava a correr depressa. Após a passagem da manga dos 5  kms foi correr em direção ao Terreiro do Paço com a desagradável passagem pelo empedrado da Ribeira das Naus. Após a passagem pelo Terreiro do Paço deu-se o regresso à Avenida da Liberdade com a passagem pela Rua da Prata, Rossio e Restauradores, já a pensar nos 1.300 metros mais difíceis da prova que foram a subida da Avenida da Liberdade. Esta subida foi de certa forma atenuada pelo ambiente espetacular proporcionado pelos inúmeros atletas, pelo público e pelas iluminações alusivas à quadra que atravessamos e que tornam a nossa principal Avenida ainda mais bela. Após contornarmos a rotunda do Marquês de Pombal foi dar o que tínhamos e o que não tínhamos, na descida até à sempre muito desejada meta.

 

E com esta corrida os tartarugas concluíram o seu quinto ano completo de provas enfrentando cada vez maiores desafios e em 2013 foram mesmo muitos!!!!!!!!!

 

Desejamos a todos os que como nós se dedicam a esta causa um Feliz Ano Novo de 2014.

 

[Crónica de Carlos Teixeira]

 

Atletas que concluiram a prova: 6535

Vencedor: Rui SIlva (Sporting Clube de Portugal): 0:29:43

 

FREDERICO SOUSA  (Dorsal Nº36)

Classificação Geral: 4058º - Classificação no Escalão Vet4: 263º

Tempo Oficial: 0:58:48/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 0:57:22

Tempo médio/Km: 5m:44s  <=> Velocidade média: 10,46Km/h (*)

 

CARLOS TEIXEIRA  (Dorsal Nº 32)

Classificação Geral: 1130º - Classificação no Escalão Vet4: 77º

Tempo Oficial: 0:46:20/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 0:46:06

Tempo médio/Km: 4m:53s  <=> Velocidade média: 13,02Km/h (*)

MELHOR TEMPO INDIVIDUAL NA PROVA

 

(*) - O Tempo médio/Km e a Velocidade média foram calculados em função dos tempos cronometrados (tempo do chip)

 

Calendário para o Mês de Dezembro

  • 1 - Corrida do Sporting (Lisboa) - 10 Km
  • 8 - Meia Maratona dos Descobrimentos (Lisboa) - 21,0975 Km
  • 28 - S. Silvestre de Lisboa - 10 Km 
publicado por Carlos M Gonçalves às 23:55

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 9 de Dezembro de 2013

1ª MEIA MARATONA DOS DESCOBRIMENTOS - Lisboa

Finalmente os três membros fundadores das LEBRES & TARTARUGAS voltaram reunir-se  numa prova de atletismo. Já vai longe o dia 1 de Setembro no qual estes bravos heróis estiveram juntos na “rentrée” da época que, como habitualmente, inclui a participação na Corrida dos Moinhos de Penacova. Esta foi mesmo a última participação do nosso atleta mais veterano (Carlos Gonçalves) que, fruto de uma arreliadora, e quase tenebrosa, lesão na coluna, foi forçado a um afastamento não voluntário da competição. Uma queda aparentemente inofensiva na praia provocou consequências bem mais graves do que seria de supor. O atleta já nem sequer devia ter participado nos "Moinhos de Penacova”. Mas a vontade de reencontrar o cenário de uma das mais belas provas em que temos marcado presença levou a que cometesse uma pequena loucura. E como costuma dizer o ditado “os erros pagam-se caros”.

 

Seguiram-se dois meses de completa inactividade, com algumas passagens pelo hospital de permeio. Chegou-se mesmo a pensar que as corridas iriam passar a ser apenas “passado”.

 

O apoio dos outros dois companheiros, sempre preocupados com o colega mais “ousado e aventureiro” (para não lhe chamarmos mais MALUCO), foi decisivo na recuperação quer física quer psicológica. Para trás ficam as falhadas participações nas Maratonas Lusas – Lisboa e Porto – e para as quais os três Tartarugas se prepararam afincadamente. Mas as lesões também são parte integrante do desporto. É nos momentos difíceis que se revelam os verdadeiros desportistas.

 

Neste regresso à competição mais do que testar a forma do atleta serviu como um teste à condição física. Talvez devesse ter optado por uma corrida mais curta. Mas a inscrição na nova Meia Maratona dos Descobrimentos já tinha sido feita no longínquo mês de Setembro e não queria deitar mais dinheiro ao lixo. Serviu para voltar um pouco às origens e encarar a corrida como um momento de distracção e de convívio deixando de lado a “guerra da competição pela obtenção de recordes”. Mais parecia a primeira Meia-Maratona deste corredor e na qual o principal objectivo era terminar a corrida e sem qualquer paragem. E o objectivo foi amplamente cumprido.

Numa manhã bem fria os quatro atletas – os três Tartarugas Fundadores mais a recente aquisição Hugo Ferreira – encontraram-se no Bairro do Restelo para juntos se dirigirem até ao local de partida. O frio era tal que até o Frederico apareceu literalmente “ensacado” num plástico de uma lavandaria. E nem sequer deixava os braços de fora.

 

Com a maioria dos atletas já alinhados na “grelha de partida” desordenada foi guardado um minuto de silêncio pela morte do líder e símbolo Sul Africano Nelson Mandela. Às dez em ponto é dado finalmente o tiro de partida. Cada um ao seu ritmo, e com aspirações bem diferentes, os quatro tartarugas lançam-se à estrada para devorarem os cerca de vinte e um quilómetros que constituem a distância de uma Meia-Maratona. Quem queria melhorar os tempos despareceu por completo voando para novas marcas. Quem apenas queria terminar e disfrutar da corrida arrancou calmamente sem se preocupar com as constantes ultrapassagens a que estava a ser sujeito.

 

Com uma primeira incursão pelo Restelo, e passagem pelo Estádio dos Belenenses, inicia-se a terrível recta até Santa Apolónia após o que se dava a inversão do sentido do percurso até à Meta instalada junto ao Mosteiro dos Jerónimos e bem em frente ao Museu da Marinha.

Apesar de longo, e um pouco monótono, a principal dificuldade do trajecto estava na zona ribeirinha, na Avenida Ribeira das Naus. O piso em empedrado pode ser muito bonito e a fazer honra às tradições. Para os atletas é terrível. No intuito de fugir um pouco à dureza do piso o Carlos Gonçalves optou por correr sobre o bem mais liso lancil do passeio. Só que, à passagem por um candeeiro, colocou o pé mal e foi “espalhanço” garantido. Levantando-se de imediato a primeira preocupação foi ver se o relógio ou se o telemóvel se tinham danificado. Como a “tecnologia” estava intacta preocupou-se então com a parte física. Com um ligeiro esfolão no braço e no joelho esquerdos já só pensava em continuar a corrida. Algumas dores fizeram temer o pior. Abrandando um pouco o já de si lento andamento seguiu até Santa Apolónia.

 

À viragem do sentido da corrida desparece o ventinho frio que até aí nos tinha dificultado um pouco a vida. Com uma temperatura mais amena temos pela frente a parte final da corrida, tendo que cumprir um pouco mais de sete quilómetros.

 

Duas horas e dez minutos depois da partida chega finalmente à meta o nossa atleta lesionado. Os colegas estavam à sua espera, enregelados é certo, mas satisfeitos por verem o seu companheiro terminar a prova.

 

É da maior importância destacar também as excelentes prestações do Carlos Teixeira e do Hugo que, fruto de uma corrida irrepreensível, pulverizaram os seus anteriores recordes na distância da Meia-Maratona. Os recordes são para serem batidos, e uma vez mais foram. Quanto ao Federico não pôde melhorar a sua melhor marca nesta distância. Mas temos de esclarecer que também ele correu lesionado com as mazelas de um entorse num dos pés que já o tinha impedido de participar há uma semana na Corrida do Sporting.

 

O regresso do Carlos Gonçalves à competição assinala também o retomar da sua actividade nas crónicas deste nosso Blogue. Tal como da competição também a saudade da escrita estava a deixar um pouco insatisfeito este atleta.

 

O fim do ano aproxima-se rapidamente do fim. Restam-nos duas habituais provas. A São Silvestre de Lisboa e, já no próximo “fim-de-semana, o habitualmente desorganizado Grande Prémio do Natal. Embora ainda com algumas dúvidas quanto à nossa participação esta prova tem como maior aliciante o facto de o Frederico poder chegar ao final de 2013 com um número redondo de quinhentos quilómetros acumulados em todas as corridas deste ano.

 

Atletas que concluiram a prova: 2414

Vencedor: ROBERT KOSGEI (Quénia): 1:05:50

 

HUGO FERREIRA (Dorsal Nº 2320)

Classificação Geral: 454º - Classificação no Escalão: ND

Tempo Oficial: 1:35:32/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 1:34:40

Tempo médio/Km: 4m:29s  <=> Velocidade média: 13,37Km/h (*)

MELHOR TEMPO INDIVIDUAL NA DISTÂNCIA DE MEIA-MARATONA

 

FREDERICO SOUSA  (Dorsal Nº1990)

Classificação Geral: 2116º - Classificação no Escalão: ND

Tempo Oficial: 2:08:14/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 2:07:24

Tempo médio/Km: 6m:02s  <=> Velocidade média: 9,94Km/h (*)

 

CARLOS TEIXEIRA  (Dorsal Nº 2405)

 Classificação Geral: 702º - Classificação no Escalão: ND

Tempo Oficial: 1:40:40/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 1:39:48

Tempo médio/Km: 4m:57s  <=> Velocidade média: 12,13Km/h (*)

MELHOR TEMPO INDIVIDUAL NA DISTÂNCIA DE MEIA-MARATONA

 

CARLOS GONÇALVES (Dorsal Nº2893)

Classificação Geral: 2177º - Classificação no Escalão: ND

Tempo Oficial: 2:11:00/Tempo Cronometrado (Tempo do Chip): 2:10:09

Tempo médio/Km: 6m:10s  <=> Velocidade média: 9,73Km/h (*)

 

(*) - O Tempo médio/Km e a Velocidade média foram calculados em função dos tempos cronometrados (tempo do chip)

 

Calendário para o Mês de Dezembro

  • 1 - Corrida do Sporting (Lisboa) - 10 Km
  • 8 - Meia Maratona dos Descobrimentos (Lisboa) - 21,0975 Km
  • 15 - Grande Prémio do Natal (Lisboa) - 10 Km
  • 28 - S. Silvestre de Lisboa - 10 Km 

 

publicado por Carlos M Gonçalves às 00:44

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 5 de Dezembro de 2013

CORRIDA DO SPORTING

Numa manhã muito fresquinha disputou-se a 3ª Edição da Corrida do Sporting, na qual participaram dois dos quatro tartarugas, por mera coincidência aqueles que são adeptos do clube organizador. Infelizmente por motivo de lesão os restantes tartarugas não puderam participar.

 

A corrida teve um percurso quase a 100% igual ao das duas anteriores edições com exceção da partida que se realizou no sentido Norte do Estádio ao contrário da habitual saída para Sul, por outro lado a chegada verificou-se no mesmo local da partida, não tendo sido lamentavelmente no interior do Estádio o que constituía um dos principais motivos de interesse da prova.

 

A exemplo do que tem sucedido ao longo do ano em outras provas registou-se uma forte adesão popular a esta corrida, tendo mais de 4.000 atletas cruzado a linha de chegada.

 

A partida foi algo confusa face ao número de atletas e ao facto de a rua ser estreita e limitada por um muro, assim apesar de termos partido na entrada dos sub-50 os nossos tempos no primeiro Km ficaram prejudicados pela situação atrás descrita. Só a partir do Campo Grande foi possível corrermos ao ritmo que pretendíamos, uma vez que o forte contingente verde alface maioritariamente (aqui e ali salpicado por alguns adeptos equipados a rigor como foi o caso do nosso Hugo) se foi dispersando face ao maior alargamento da via.

 

O grau de dificuldade da corrida é baixo, permitindo a obtenção de bons tempos, no nosso caso ambos fizemos a nossa segunda melhor marca de sempre na distância. É uma prova muito equilibrada entre os primeiros e os últimos 5 Kms dado que no primeiro caso há a dificuldade de a Avenida da República ser ligeiramente a subir no sentido do Saldanha e os segundos iniciam-se com a subida de parte da Avenida Fontes Pereira de Melo, em ambos os sentidos os túneis com as subidas e descidas acabam por trazer algumas variações de ritmo mas por períodos curtos de tempo face à dimensão e que naturalmente se compensam.

 

Foi acima de tudo um bom treino para o próximo desafio dos Lebres e Tartarugas a meia maratona dos descobrimentos e que tudo indica vai voltar felizmente a juntar todos os tartarugas.

 

[Crónica de Carlos Teixeira]

 

Atletas que concluiram a prova: 4241

Vencedor: MANUEL DAMIÃO (Sporting Clube de Portugal): 0:30:13

 

HUGO FERREIRA (Dorsal Nº3692)

Classificação Geral: 598º - Classificação no Escalão Vet1: 127º

Tempo Oficial: 0:45:20/Tempo Cronometrado Individualmente: 0:44:21

Tempo médio/Km: 4m:26  <=> Velocidade média: 13,53Km/h (*)

MELHOR TEMPO INDIVIDUAL NA PROVA
 

CARLOS TEIXEIRA (Dorsal Nº2628)

Classificação Geral: 824º - Classificação no Escalão Vet5: 136º

Tempo Oficial: 0:47:12/Tempo Cronometrado Individualmente: 0:46:13

Tempo médio/Km: 4m:37  <=> Velocidade média: 12,98Km/h (*)

MELHOR TEMPO INDIVIDUAL NA PROVA 

 

(*) - O Tempo médio/Km e a Velocidade média foram calculados em função dos tempos cronometrados (tempo do chip)

 

Calendário para o Mês de Dezembro

  • 1 - Corrida do Sporting (Lisboa) - 10 Km
  • 8 - Meia Maratona dos Descobrimentos (Lisboa) - 21,0975 Km
  • 15 - Grande Prémio do Natal (Lisboa) - 10 Km
  • 28 - S. Silvestre de Lisboa - 10 Km 

 

publicado por Carlos M Gonçalves às 23:54

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. MEIA MARATONA DE CASCAIS

. PENINHA SkyRace

. CORRIDA DO FIM DA EUROPA

. GP DE ATLETISMO DO CAMARN...

. CORRIDA COM OS CAMPEÕES

. SÃO SILVESTRE DE LISBOA

. ONYRIA CHALLENGE

. GRANDE PRÉMIO DO NATAL

. MEIA MARATONA DOS DESCOBR...

. GRANDE PRÉMIO DE ATLETISM...

.arquivos

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

.links

.subscrever feeds